Que cada um de nós tenha a liberdade de ser o que quisermos, de vestir a roupa que mais gostamos, de ouvir o som que mais nos agrada. Mas que essa não seja AQUELA liberdade… Aquela velha burguesa, mesquinha, embriagada de “foda-se” e incapaz de perceber a si mesma e o que está à sua volta.
Buia Kalunga (Apropriação Cultural http://kilombagem.net.br/…/noticias-r…/apropriacao-cultural/)